Veneza – Chegando de carro e o Hotel

Chegamos em Veneza! Como contei no post anterior, fizemos a escolha de ir para Veneza de carro, alugando no aeroporto de Roma, o que pode ser muito bom se o tempo e o trânsito estiverem favoráveis e houver maior disponibilidade de tempo para paradas, mas não foi o nosso caso.

Agora que a viagem já acabou, podemos avaliar melhor as nossas escolhas e faria diferente, só alugando carro se estivéssemos em 3 ou 4 pessoas, e com mais tempo de parada em cada cidade, pelo menos 2 ou 3 dias só para essa região da Toscana. Imaginamos que Roma fosse tomar mais tempo para ser visitada, como aconteceu em Paris, mas não foi preciso, mesmo ficando longe do centro ficamos com 2 dias livres que poderíamos ter remanejado para a Toscana. Na próxima viagem vamos tentar mudar essa distribuição de dias em cada cidade.

Voltando à experiência de dirigir na Itália, as estradas são ótimas, mas a quantidade de pedágios desanima, e dá uma quebrada no ritmo da velocidade, então considere sempre 20% a mais de tempo do que o previsto pela rota traçada pelo gps. O pagamento dos pedágios pode ser feito com dinheiro ou cartão, no primeiro pedágio ao entrar na estrada é retirado um ticket que marca onde começou o uso da rodovia, ao sair passa-se por outra praça de pedágio, e aquele mesmo ticket deve ser recolocado e o caixa automático calcula o valor devido, e aí é feita a cobrança, que pode ser pago em dinheiro ou cartão. É simples, mas como erramos algumas saídas, tivemos que refazer esse procedimento algumas vezes e isso gerou um acréscimo de 2 horas no trajeto.

Até poderíamos ter feito uma parada em Florença, mas choveu praticamente todo o dia, o que mudou nossos planos, e o tempo que teríamos para a parada foi consumido pelos erros de percurso. Outro detalhe importante é que nos postos de combustível tem dois preços, um mais econômico de auto serviço e outro mais caro de atendimento pelo funcionário. A escolha é determinada pela bomba onde se para o carro, é bom prestar atenção.

Chegar de carro em Veneza não é complicado, para me familiarizar eu visualizei a estrada nas proximidades pelo google maps na função imagem satélite, então fiquei mais tranquila ao chegar na reta final da travessia da ponte, onde diminuem as faixas de carro e ao lado passa o trilho e o corredor de ônibus. Para chegar nas locadoras e no estacionamento público (que não significa gratuito), siga em frente até o fim, vai ter a saída para o porto e depois o edifício garagem gigantesco do estacionamento. A entrada para o edifício e as locadoras tem a mesma saída da rua, mas logo em seguida é possível ver as catracas para entrar no edifício garagem e logo do lado esquerdo uma pequena rua com vagas em 45º e as locadoras de carro, pare o carro ali. Se não houver vagas, pare rapidamente em fila dupla e chame um funcionário da locadora, a circulação dos veículos que estacionam ali é grande, pois essas vagas servem para a entrega e devolução dos carros.

Cuidado! As locadoras preveem uma cobrança extra de €50 caso o carro seja estacionado dentro do edifício garagem. No nosso caso, mesmo o funcionário tendo feito a vistoria da devolução e recebido o carro em frente a loja da Hertz, retiveram no valor da caução da locação novamente o valor da locação (que nós já tínhamos pago no Brasil, antes da viagem) e a cobrança do estacionamento. Acionamos a agência que intermediou a locação do carro e eles entraram em contato com a Hertz da Itália e cobraram o estorno das cobranças, que foi feito integralmente só depois de 3 faturas. Nós pagamos e só fomos reembolsados 3 meses depois. Pesquisando na internet descobri que isso acontece muito com locadoras na Itália, mesmo as de rede internacional como a Hertz, é uma praxe do modo de trabalho de lá. Se acontecer com você, não desista e cobre até o fim a devolução.

Assista o vídeo, e para receber mais conteúdo como este se inscreva no blog e no canal e siga a gente nas redes sociais (InstagramFacebook, e Twitter). Nessa viagem tivemos boas parcerias, usamos os chips da Easysim4u com internet ilimitada em todos os países, a cobertura da Seguros Promo (para a Patricia), e a Banggood que ofereceu alguns acessórios de viagem . Um beijo e até o próximo post. Essa publicação pode conter conteúdo publicitário e redirecionamento para parceiros do Blog.

Author: patriciaviaja

O blog e o canal no Youtube são criações do casal Patricia Barbosa e Willian Rocha. Em 2014 criaram o Canal Patricia Viaja no YouTube e em 2015 decidiram criar o Blog Patricia Viaja. Patricia é formada em Direito e trabalha no Judiciário Federal Brasileiro. Willian é Designer Gráfico e Instrucional e trabalha para o Governo do Estado de São Paulo. Antes de se conhecerem a Patricia já tinha viajado por quase toda a América do Sul (Argentina, Uruguai, Colômbia, Peru, Venezuela, Chile) e outros países como as Antilhas Holandesas e os Estados Unidos, e já entendia quase tudo sobre milhas aéreas e como economizar muito nos planejamentos de viagem usando os programas de pontos das cias aéreas e dos hotéis. Desde que se conheceram em 2011 os dois já viajaram juntos pelo Brasil, Argentina, Chile, Equador, Estados Unidos, Canadá, França, Grécia, Espanha, Portugal e Itália. No blog é explorado o formato econômico de viagens do casal, explicando como são planejadas as viagens, desde a escolha do destino e as reservas de passagens, hotéis e passeios, aproveitando os benefícios dos programas de fidelidade das cias aéreas, hotéis e cartões de crédito. O desejo é que assim como eles, mais pessoas possam viajar e usufruir do melhor das suas férias de trabalho e escola, sem comprometer o orçamento mensal.

O que você achou da publicação? Tire suas dúvidas.