Sintra, Portugal, em 2 dias

Voltei a Sintra, desta vez na companhia dos meus pais. Visitamos lugares diferentes na região.

O que vimos e onde fomos: Já no primeiro dia conhecei o Palácio de Monserrate, em estilo gótico e romântico, com um jardim bem grande e muito interessante, além de lindo. Contei tudo no vídeo sobre o palácio e a história dele. Por alguns anos o local esteve em reforma, e agora podem ser vistos os cômodos restaurados, e o processo todo da restauração realizada. Para essa visita completa reserve pelo menos 4 horas, como ele não fica perto do Palácio da Pena e do Castelo dos Mouros, exige mais tempo de deslocamento, o ônibus circular turístico de Sintra faz parada bem em frente ao local, mas se você estiver em 3 ou mais pessoas é mais barato pedir um uber.

No dia seguinte, descansados, fizemos uma maratona de passeios. Para dar certo é preciso organizar bem as atrações, a ordem de cada uma, e chegar cedo. Tomamos café no hostel, pedimos um uber e fomos direto para o Castelo dos Mouros. Uma das construções mais antigas de Sintra, a fortificação é anterior a ocupação moura em Portugal, concorrendo com o Palácio da Pena, fica em uma das partes mais altas da região, e do topo de suas muralhas é possível ter uma visão completa de Lisboa, da Vila de Sintra, Colares e até Cascais, além do Palácio da Pena. Vale a pena a visita, mas exige um mínimo de preparo físico e mobilidade. Reserve pelo menos 2 horas para caminhar e subir com calma pelas muralhas do castelo.

Saindo do Castelo dos Mouros, fomos caminhando para a entrada dos Jardins do Palácio da Pena em direção ao Chalet da Condessa D’Edla, uma visita que impressiona pela riqueza do trabalho feito com a cortiça na decoração do chalet. A história sobre esse chalet é mais uma das histórias românticas de Sintra, um verdadeiro refúgio no meio do jardim do Palácio da Pena. Para chegar lá passamos pelos jardins, fontes e lagos, além da parte onde ficam os animais e os cavalos da propriedade, uma atração à parte, e que as crianças irão amar conhecer. Reserve mais um pouco de fôlego para a caminhada e pelo menos 3 horas. Minha dica é sair pela entrada principal do jardim, onde existe a parada do ônibus circular turístico, pois na saída perto do chalet, nem uber conseguia chegar, perdemos 1h30 esperando um carro depois do outro em cancelamentos e solicitações sucessivas feitas de forma automática pelo aplicativo. Ali naquele ponto, simplesmente não funciona.

Nosso dia terminou com o passeio no último horário de descida do elétrico de Sintra até a Praia das Maças. Descemos todo o caminho do Chalet da Condessa D’Edla a pé, até a saída do elétrico, cerca de 4 km.  Não era nosso plano, mas aconteceu. O dia estava lindo e chegamos a tempo de pegar o último horário do elétrico. O caminho é muito bonito e a chegada na praia é um sonho, pois em 40 minutos saímos das serras de Sintra e estamos na praia. Lá tivemos cerca de 20 minutos até a volta do último elétrico. O sol já estava começando a se por e foi simplesmente lindo, voltar para Sintra com a vista do pôr do sol no mar e entre a serra. O inconveniente desse passeio é o barulho dos freios do bonde. O tempo de descida e subida é de aproximadamente 2 horas.

Onde comer: Em Sintra existem diversos lugares para comer, os típicos travesseiros, que são uma espécie de folhado doce com recheio. Existem muitas lanchonetes, cafés, hamburguerias espalhadas pelo centrinho e perto da estação de trem. Nós encontramos um ótimo restaurante de comida oriental, japonesa, chinesa e coreana, buffet à vontade, com preço bem razoável para a cidade e muito gostoso, o nome é kyoto sushi, na Avenida Heliodoro Salgado, fica fora do circuito turístico, mas vale a pena a caminhada até lá.

Onde ficamos hospedados: A hospedagem em Sintra não é muito barata, mas viajando em grupo é possível reservar um quarto completo de hostel para o grupo todo, o que sai bem mais barato do que ficar em um hotel. Foi o que nós fizemos, reservamos um hostel bem no centro da cidade, para onde conseguimos ir a pé da estação de trem e até para outros pontos turísticos locais, como a saída do elétrico da praia das maças.

Sintra tem muitos atrativos e exige pelo menos 2 dias inteiros de visitação, se puder fique 3 dias e 2 noites na cidade. Para quem curte castelos e palácios a região é um prato cheio.

Assista os vídeos, e para receber mais conteúdo como este se inscreva no blog e no canal e siga a gente nas redes sociais (Instagram e Facebook).

Um beijo e até o próximo post.

Essa publicação pode conter conteúdo publicitário e redirecionamento para parceiros do Blog.

Author: patriciaviaja

O blog e o canal no Youtube são criações do casal Patricia Barbosa e Willian Rocha. Em 2014 criaram o Canal Patricia Viaja no YouTube e em 2015 decidiram criar o Blog Patricia Viaja. Patricia é formada em Direito e trabalha no Judiciário Federal Brasileiro. Willian é Designer Gráfico e Instrucional e trabalha para o Governo do Estado de São Paulo. Antes de se conhecerem a Patricia já tinha viajado por quase toda a América do Sul (Argentina, Uruguai, Colômbia, Peru, Venezuela, Chile) e outros países como as Antilhas Holandesas e os Estados Unidos, e já entendia quase tudo sobre milhas aéreas e como economizar muito nos planejamentos de viagem usando os programas de pontos das cias aéreas e dos hotéis. Desde que se conheceram em 2011 os dois já viajaram juntos pelo Brasil, Argentina, Chile, Equador, Estados Unidos, Canadá, França, Grécia, Espanha, Portugal e Itália. No blog é explorado o formato econômico de viagens do casal, explicando como são planejadas as viagens, desde a escolha do destino e as reservas de passagens, hotéis e passeios, aproveitando os benefícios dos programas de fidelidade das cias aéreas, hotéis e cartões de crédito. O desejo é que assim como eles, mais pessoas possam viajar e usufruir do melhor das suas férias de trabalho e escola, sem comprometer o orçamento mensal.

O que você achou da publicação? Tire suas dúvidas.